Immediatism – Essays by Hakim Bey
Livros / 3 de Janeiro de 2012

I. Toda a experiência é mediada – por mecanismos da percepção sensorial, mentalização, linguagem, etc. — e seguramente toda a arte consiste numa mediação mais aprofundada da experiência. II. Contudo, a mediação acontece gradualmente. Algumas experiências (cheiro, gosto, prazer sexual, etc.) são menos mediadas que outras (ler um livro, olhar através de um teles cópio, ouvir um disco). Alguns media, especialmente ‘artes ao vivo’ como a dança, o teatro, ‘performance’ teatral ou poética, são menos mediadas que outras como a TV, os Cds, ou a Realidade Virtual. Mesmo entre os media, designados usualmente por ‘media’ uns são mais e outros menos mediados, de acordo com a intensidade de participação imaginativa que requerem. Tipografia ou rádio pedem mais à imaginação, os filmes menos, a TV ainda menos e o VR o menos de todos — por agora. III. Em relação à arte a intervenção da Capital assinala sempre um grau mais extenso de mediação. Dizer que a arte se acomodou é dizer que a mediação, ou o estar no meio, ocorreu, e que esse estar no meio significa uma dispersão e que esta dispersão degenera em ‘alienação’. A música improvisada tocada por amigos em casa é menos ‘alienada’ que a música…